Joinville Country Club 10 Anos

1988 – 2001
Há 10 anos, Joinville ganhava um magnífico presente, fruto do idealismo e espírito empreendedor de alguns dos seus principais empresários. Uma instituição totalmente voltada à cultura, ao esporte e ao lazer. Uma trilogia que realmente faz a diferença na vida de todos nós.
CONHEÇA MAIS

 

Ao fundar o Joinville Country Club em setembro de 1991 (inicialmente batizado Joinville Golf & Country Club), tudo o que estes sonhadores tinham em mãos era um terreno degradado, com águas intermitentes e vegetação escassa, incapaz de abrigar sequer a fauna nativa. Mas o que seus olhos viam era a possibilidade de um belíssimo campo de golfe, trilhas para cavalgadas, lagos e terrenos residenciais. Após uma década, quem observa o JCC conclui que eles concretizaram o sonho e que, na verdade, o nosso clube tornou-se ainda muito maior do que o esperado.

Além de ser o m2 residencial mais valorizado da cidade, é um clube sem similar no estado, equipado para sediar competições amadoras e profissionais em diversas modalidades esportivas.

A maior atração natural do JCC é com certeza o lago. Ao observá-lo plácido e belo, não é possível supor sua origem, resultado de anos de exploração predatória de saibro em toda a antiga área do clube. Para preencher os inúmeros buracos formados naquela região, a Esparta, empresa fundadora do JCC, retirou material de onde hoje está o lago. A cratera resultante foi aprofundada até alcançar 140.000 m2, para mais tarde ser preenchida com água do Rio Cubatão. O que antes era um filete de. água morta transformou-se na fonte viva que abastece as lavouras vizinhas e várias indústrias. Hoje o lago do JCC também é considerado um importante manancial para a proliferação de diversas espécies de peixes como traíras, lambaris, saicangas, robalos, pacus, jundiás, saguarus, carpas, bagres e tilápias. Dele também usufruem pequenos animais da região, como corujas, canários, quero-queros, capivaras e lontras. Um exemplo de bom projeto ambiental, capaz de preservar espécies e contribuir para a qualidade de vida da comunidade.

Hoje, nossos visitantes costumam tornar-se tão entusiastas quanto nossos mais antigos sócios. Elogiam o desafio do campo, a paisagem idílica, a hospitalidade e a gastronomia. Não raro

surpreende-se uma exclamação sobre “a maravilha que vocês tem aqui!”, seguida da inevitável interrogação “quanto custa mesmo o título?”.Ao sorrir orgulhosos, nossos associados geralmente abrem os braços para receber o novo amigo e sua família. Não é à toa que entre 1996 e 1998 o quadro social praticamente dobrou, enquanto o clube adquiria um novo perfil ao ampliar significativamente suas instalações. Chegaremos ao final de 200 I com mais de 200 associados e a certeza de que este número aumentará progressivamente ao longo dos próximos anos.

O esporte tornou-se a paixão da maioria dos nossos sócios. Mais do que local ideal para atletas de fim de semana, o Joinville Country Club é o berço de esportistas dedicados, que vêm alcançando resultados cada vez melhores em competições estaduais e nacionais. Ao longo deste decênio, reputadas empresas como Prisma, Seguridade, Engepasa, Richter,Vettore,Akros,Tigre, Docol, Consul, Datasul,Transjoi, Country Automóveis, OTM, Supra,Tecnoperfil,TAM, CCF, Bom Preço,Le Canard, Camilotti, Miller,Thoratex, Dipiso, Safra,Antártida,Toff’s,Wiest, Novo Tempo, Sudameris, Fremax e Focus anualmente patrocinam nossos campeonatos de golfe, tênis e hipismo. Graças a este fundamental incentivo, nossos atletas alcançam colocações no ranking nacional e nossos capitães de golfe assumem cargos importantes como a presidência da Federação Paranaense de Golfe a diretoria da Confederação Brasileira de Golfe.

A Fundação da Esparta – 1988

A idéia de criar um complexo residencial dedicado ao esporte e lazer começou a tomar forma em fevereiro de 1988, quando Ninfo Valtero Koníg e Aldemir Dadalt fizeram a cavalo o primeiro reconhecimento de uma antiga granja leiteira na Estrada da Ilha, n° 1661.A área em Pirabeiraba, zona rural de Joinville, pertencia à Agroville e estava muito degradada porque há 20 anos vinha sendo usada para exploração de seixo por empresas particulares e pela Prefeitura de Joinville. Em março daquele ano, Dadalt e Kbnig reuniram um grupo de amigos, propondo a construção de um clube e condomínio naquele local. Participaram desta primeira reunião Max Bornhold, Pedro ElcédioAmbrósio, Rene Rollin,Adolar Pieske, José H.C. Loyola, Iberê Pires Condeixa, José Marcos de Oliveira Júnior, José A. Monzu Sanches e Carlos Roberto Hansen.Juntos, realizaram em abril a compra do terreno (cerca de 500 mil m2). Para empreender o sonho, formaram a empresa Esparta Empreendimentos e Participações Ltda., em 2 de maio de I 998. As atas da época revelam que o objetivo era desenvolver um condomínio com campo de golfe e hípica, um condomínio & c/ub sob os moldes dos empreendimentos norte-americanos, onde as decisões são tomadas pelos proprietários e executadas por um gerente contratado.

O Sr. Rene Rollin foi convidado para a presidência, enquanto Aldemir Dadalt, Max Bornhold, Ninfo V König e Pedro Ambrósio tornaram-se os primeiros diretores gerentes.

Instituindo como sede um escritório à Rua Princesa Isabel, n° 238/sala 703, em Joinville, a primeira providência da empresa foi romper o contrato para exploração de seixo com a Prefeitura Municipal. Em julho, a Esparta iniciou a drenagem das áreas inundadas em conseqüência da escavação para exploração de seixo, celebrando em setembro um contrato com a empresa de terraplanagem Rudnick, desta vez com as seguintes bases:

  •  Nenhuma nova área poderia ser destruída durante o processo de exploração de seixo
  • Todo material não aproveitável comercialmente seria depositado em áreas indicadas pela Esparta, visando recuperar os locais degradados.
  • O grande lago resultante do processo deveria ser entregue com as margens em talude de no máximo 45 graus, possibilitando a recuperação ambiental da área
  • A Rudnick remuneraria a Esparta pelo seixo removido, além de fornecer máquinas e equipamentos para preparação do campo de golfe e urbanização.

A execução destes serviços possibilitou o início da construção do campo de golfe. Desta forma a Esparta iniciava também suas imobilizações, através da compra de terrenos, tratores, cortadores de grama e da construção da primeira sede do futuro clube e condomínio.

A Fundação do JGCC 1989 a 1991

Em fevereiro de 1989 foi realizada a primeira reunião social da empresa, um churrasco sob as árvores onde mais tarde seria o Fairway do buraco I. Entre setembro de 89 e dezembro de 90, foi construída e mobiliada a primeira sede. Na mesma época retiraram-se os sócios José Carlos Vieira, José M. de Oliveira e José A. Monzu Sanches e ingressaram Paulo Roberto Linzmeyer e Gert Schmidt. Em agosto de 1991, associaram-se à Esparta Pierre M.B. de Richter e Felinto Koerber.

Em 12 de setembro de 1991 foi fundado o Joinville Golf & Country Club, disponibilizando à comunidade 500 títulos sociais. De acordo com a ata de fundação, os 13 sócios da Esparta à época assinaram o documento, tornando-se sócio-fundadores do JGCC:

Adolar Pieske 2 cotas
Aldemir S. Dadalt4 cotas
Carlos Roberto Hansen 1 cota
Felinto Koerber 1 cota
Gert Schmidt 1 cota
Iberê Pires Condeixa1 cota
José H. C. Loyola1 cota
Max Roberto Bornholdt2 cotas
Ninfo Valtero Konig3 cotas
Paulo Roberto Unzmeyer 1 cota
Pedro E/cédio Ambrósio1 cota
Pierre M.B. de Richter 1 cota
Rene Rol/in 1 cota

Ampliando o JGCC – 1992 a 1993

A Esparta prosseguiu em sua meta de ampliar a área do clube, comprando mais 62.500 m2 do vizinho Oscar Pabst (atual buraco 2 e áreas residenciais). Logo em seguida, construiu o Pórtico de Entrada e as cavalariças que mais tarde originaram a Vila Hípica, num investimento de aproximadamente US$ 40.000,00. O campo de golfe também recebeu benfeitorias de irrigação e drenagem.

Em fevereiro, retirou-se o sócio Gert Schmidt e ingressou João Rufino de Bruns Neto.

No fim do ano de 1992, a Esparta investiu na compra um anteprojeto da Prisma Engenharia e Empreendimentos Ltda. para a construção da nova sede, mas a execução da obra foi adiada por demandar um alto volume de recursos, indisponíveis na ocasião.

No ano seguinte, a Esparta passou a gerar 12 empregos diretos, entre jardineiros, funcionários administrativos e instrutores de esportes.

1994 a 1995

Até então, a maioria das despesas do jCGC eram pagas e assumidas pela Esparta. Apesar do aumento do número de associados, a receita gerada pelas mensalidades não era suficiente para custear a manutenção do clube, que recebia da Esparta o auxílio para complementar sua receita,o que ocorreu até final de 1997. Novamente a diretoria da Esparta propôs a construção de uma nova sede, mas a opção da diretoria do clube ficou pela ampliação da antiga sede (agregando mais 75 m2 ao prédio original), numa reforma findada em setembro que custou cerca de US$ 50.000,00.

Também construiu-se em 1994 as quadras de tênis, piscina, estacionamento, parques, jardins e churrasqueiras, além de ser executado o projeto elétrico. Nesta época, retiraram-se os sócios Iberê Pires Condeixa e Pierre M.B. de Richter, mas ingressaram Engepasa S.A e Lusádio de Freitas. Em junho de 1994, Ninfo Y. Konig assumiu a presidência.

Em outubro, a sede foi transferida para a sala 906 do Edifício Hannover, à Rua Abdon Batista, 121. Em fevereiro de 1995 aconteceu o pior momento da história do clube. Com o rompimento da barragem do Rio Cubatão, foi destruída grande parte das benfeitorias realizadas no JGCC.

A água inundou cerca de 90% da área do clube, alcançando inclusive a sede. Todo o custo de reconstrução e recuperação após a enchente, cerca de R$ 358.000,00, foi prontamente absorvido pela Esparta. Após esta tragédia, foram efetuadas obras definitivas nas barragens do Rio Cubatão. A nova instalação comprovou sua eficácia ao suportar posteriormente volumes de água superiores aos da enchente de 1995, evitando o risco de novas inundações nas comunidades de Pirabeiraba e no JGCC.

Em outubro de 1995, a sede passou do Edifício Hannover para a Rua Expedicionário Holz, 376, local onde está sediada a empresa do atual presidente da Esparta, Aldemir S. Dadalt. Neste ano o clube passou a adotar sua denominação atual Joinville Country Club.