HISTÓRIA

O Joinville Country Club começou a surgir em junho de 1988, quando alguns abnegados pelo esporte, em especial o golf, decidiram construir uma sociedade, culminando com a efetiva fundação em setembro de 1991.
CONHEÇA MAIS

 

Sede Oficial do golfe catarinense

Joinville possui um dos mais belos equipamentos de lazer de Santa Catarina. É a sede do Joinville Country Club, instalada em uma ampla área verde de Pirabeiraba. O local sedia importantes eventos esportivos, incentivando a prática de modalidades alternativas.

O campo de golfe do Joinville Country Clube é o único oficial de Santa Catarina, com 6.156 jardas (aproximadamente 5.500 metros) e é considerado bastante difícil e emocionante. Lá são realizados importantes torneiros entre associados, convidados e simpatizantes, que contam pontos para o ranking da Federação Paranaense de Golfe, já que ainda não existe uma entidade similar em Santa Catarina.

Dentro do Joinville Country Club também está instalada a Vila Hípica, que organiza ao longo do ano diversos torneios internos, como a Taça Cidade de Joinville de Hipismo, onde geralmente competem mais de uma centena de conjuntos (cavaleiro/cavalo). Já em sua terceira edição, o torneio é catarinense, mas costuma contar com a participação especial de várias hípicas paranaenses, marcando a entrada definitiva de Joinville no Circuito do Hipismo Clássico do sul do país.

Recuperação ambiental deu origem ao lago

Ninguém imagina que a bela paisagem do Joinville Country Clube era, no passado, um local para retirada de saibro. Várias empresas da região trabalhavam ali, inclusive a Prefeitura de Joinville. O saibro retirado era utilizado em aterros, drenagens, pavimentação de ruas e na fabricação de brita. O terreno era cheio de buracos que mediam até 3 metros de profundidade.

Para construir a sede, o campo e várias outras benfeitorias, retirou-se material de onde hoje está o lago do JCC. O resultado foi uma enorme cratera de 1.200 metros de comprimento, 150 metros de largura e 6 metros de profundidade. A idéia foi transforma-la num belo lago preenchido com a água do Rio Cubatão. Desta forma, houve benefícios para toda a comunidade. O Rio do Braço, antes um filete de água morta, ressuscitou proporcionando água para as lavouras dos agricultores da região, e também para o processo produtivo da Multibrás.

O lago tornou-se ainda um dos maiores atrativos do clube com um visual magnífico e ideal para a prática de esportes aquáticos e pesca. Os especialistas o colocam entre os primeiros do país para o esqui-aquático.

O lago do JCC também tornou-se manancial para a proliferação de diversas espécies de peixes e pequenos animais da região. Um exemplo de bom projeto ambiental capaz de preservar espécies e contribuir para a qualidade de vida da comunidade.

Recuperação ambiental deu origem ao lago

Ninguém imagina que a bela paisagem do Joinville Country Clube era, no passado, um local para retirada de saibro. Várias empresas da região trabalhavam ali, inclusive a Prefeitura de Joinville. O saibro retirado era utilizado em aterros, drenagens, pavimentação de ruas e na fabricação de brita. O terreno era cheio de buracos que mediam até 3 metros de profundidade.

Para construir a sede, o campo e várias outras benfeitorias, retirou-se material de onde hoje está o lago do JCC. O resultado foi uma enorme cratera de 1.200 metros de comprimento, 150 metros de largura e 6 metros de profundidade. A idéia foi transforma-la num belo lago preenchido com a água do Rio Cubatão. Desta forma, houve benefícios para toda a comunidade. O Rio do Braço, antes um filete de água morta, ressuscitou proporcionando água para as lavouras dos agricultores da região, e também para o processo produtivo da Multibrás.

O lago tornou-se ainda um dos maiores atrativos do clube com um visual magnífico e ideal para a prática de esportes aquáticos e pesca. Os especialistas o colocam entre os primeiros do país para o esqui-aquático.

O lago do JCC também tornou-se manancial para a proliferação de diversas espécies de peixes e pequenos animais da região. Um exemplo de bom projeto ambiental capaz de preservar espécies e contribuir para a qualidade de vida da comunidade.

Nova sede amplia o Joinville Country Clube

Investimentos permitem dobrar o atual quadro de sócios e construir um magnífico complexo de campo
Quem mora em cidades de grande ou médio porte, costuma ter problemas na hora de escolher o que fazer no fim de semana. Raras são as cidades onde é possível resolver a velha equação lazer x natureza x distância sem gastar muito.
Este é o caso de Joinville, privilegiada não só pela localização geográfica – entre o litoral e a serra, mas também por sediar um dos mais completos complexos de lazer do estado. Com 600 mil m², o Joinville Country Clube está sendo transformado no destino certo de quem quer praticar esportes ao ar livre, com segurança e boa infra-estrutura, sem precisar sair da cidade ou dispender grandes somas. Este trabalho, desenvolvido ao longo dos 9 anos de existência do JCC, será intensificado agora, com a decisão de se iniciar uma nova etapa de ampliação patrimonial do clube. A intenção é presentear Joinville com um clube cada vez mais dinâmico e diversificado, digno da maior cidade de Santa Catarina.

Gestão de sucessos

No ano passado findou-se no JCC a gestão do empresário Álvaro Gayoso Neves (1998-99), precedido no biênio anterior pelo também empresário Aldemir Dadalt, substituindo o então presidente René Rollin, afastado do cargo por problemas de saúde. Durante estes períodos, o clube passou por significativas transformações estruturais, a exemplo do asfaltamento do acesso e do estacionamento da Hípica, das construções das quadras de tênis, do novo parque infantil, de 40 novas baias e da pista oficial de saltos para o hipismo. Tantos aprimoramentos exigiram um investimento da ordem de um milhão de reais, realizados em sua maioria pela empresa Esparta, a empreendedora do JCC. Para o sócio-fundador Aldemir Dadalt, o resultado destes investimentos está diretamente ligado ao reconhecimento do clube como uma das melhores opções de lazer em Joinville. “O perfil do clube se transformou, pois ampliamos o número de eventos esportivos e sociais, sempre realizados com as portas abertas para a comunidade. É importante ressaltar que todo este trabalho resultou também em melhorias patrimoniais para utilização coletiva”, completa Dadalt.

Para o novo presidente, empresário Lusádio de Freitas, este é o momento certo para dobrar o número de sócios do JCC. “Com tudo que o clube pode oferecer, não faz sentido permanecer com um pequeno quadro associativo. Decidimos então implementar uma ampla campanha de títulos, oferecidos em condições extremamente vantajosas. O valor total de R$ 10.000,00, será subdividido em 20 parcelas de R$ 500,00 mensais. 

É um pequeno investimento dentro do ponto de vista do orçamento da casa, mas capaz de trazer dividendos inigualáveis em termos de saúde e qualidade de vida para toda a família”, considera Freitas.

Na verdade, o clube reúne opções de esporte e lazer que a família costuma procurar de forma isolada dentro do espaço urbano ou em viagens. Quem por exemplo, costuma frequentar uma academia, ocasionalmente vai a um restaurante e ainda precisar viajar para curtir a natureza, com certeza gasta nestas atividades em conjunto muito mais do que R$ 240,00 reais mensais. Ao tornar-se sócio de um clube de campo, não só o titular, mas todos os dependentes passam a poder usufruir destas mesmas atividades, muitas até de forma integrada, reforçando os laços familiares. “Geralmente os sócios de um clube como este o transformam numa extensão da sua casa. Não é à toa que muitos associados estão comprando lotes dentro do JCC, com a intenção de construir e fixar residência. Esta é uma proposta ainda nova no Brasil, mas muito comum em países do hemisfério norte, principalmente em clubes que abrigam campos de golfe, como é o nosso caso”, diz Paulo Fernando Antunes, um exemplo de como o JCC está atraindo a nova geração. Com apenas 20 anos, Paulo já é Capitão de Golfe do Clube, um dos cargos mais prestigiados na entidade.

Sede cinematográfica

Entre as principais metas programadas para a nova gestão, está a construção de uma nova sede para o JCC. “Queremos engajar todos os novos associados neste processo, contribuindo para a geração de recursos e novas idéias. De acordo com os ante-projetos, a nova sede abrigará um magnífico restaurante panorâmico, bar, salas de jogos e recreação infantil, salas de ginástica, saunas, vestiários, loja de artigos esportivos, sala de eventos e de cinema. Enfim, tudo o que é necessário para o completo lazer da família.”, explica o diretor financeiro Gilberto Krause. “E tudo isto sem que o sócio gaste um centavo a mais, já que trata-se de patrimônio permanente do clube.”